Notícias

« Voltar
Sua medula pode salvar vidas!

Sua medula pode salvar vidas!

O cadastramento no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea dura entre 20 e 30 minutos e pode ser a diferença entre a vida e a morte para alguém. Seja doador!

Publicado em: 11.01.2016 às 3:24 pm

Você sabia que as chances de um paciente que necessita de transplante de medula óssea conseguir um doador fora da família são de aproximadamente uma em 100 mil?

A probabilidade é resultante da grande miscigenação no país e do baixo número de doadores cadastrados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). No Brasil, dos 200 milhões de habitantes, apenas 3,7 milhões são cadastrados. Apesar de ser o 3º maior banco do mundo, isso representa 1,8% da população brasileira.

Um número fácil de ser convertido: basta a sociedade se conscientizar da importância de realizar o cadastro, que é simples, rápido e pode salvar vidas, pois quanto mais pessoas cadastradas, maior a variabilidade genética no banco de doadores. Atualmente apenas 3,4% da população do Espírito Santo entre 18 e 55 anos é cadastrada no REDOME. Isso representa 129 mil capixabas dos 3,8 milhões. Apesar dos números, a probabilidade de se identificar um doador compatível, no Brasil, na fase preliminar, é de 88%, devido à articulação do REDOME com os bancos de doadores de todo o mundo. De acordo com o órgão, ao final do processo de verificação de compatibilidade, 64% dos pacientes têm um doador compatível confirmado.

Como ajudar no transplante?

Para que seja realizado um transplante de medula óssea, é necessário que doador e receptor sejam compatíveis, caso contrário a medula pode ser rejeitada. Devido à escassez de doadores e aos avanços da imunossupressão, os hospitais têm realizado o transplante com compatibilidade menor do que 100%, quando não é encontrada essa possibilidade entre a família e o banco de doadores.

Entre irmãos, a probabilidade de compatibilidade é de 25%. Por isso o primeiro procedimento é verificar a compatibilidade entre eles. Caso não sejam compatíveis, a pesquisa é realizada com parentes. Tios, primos, sobrinhos. Entre estes, a chance de compatibilidade cai para 5%. Se nenhum parente for compatível, a busca se expande para os doadores cadastrados no REDOME e em registros de doadores de outros países, diminuindo as chances para uma em 100 mil.

Posso me cadastrar para ser doador?

De acordo com a Supervisora Laboratorial do LIG, Márcia Biccas, para se cadastrar, é necessário ter entre 18 e 54 anos de idade e ser saudável. “O candidato a doador deverá procurar o hemocentro mais próximo – no Estado, existem unidades em Vitória, Serra, Linhares, Colatina e São Mateus – para agendar uma entrevista e esclarecer todas as dúvidas a respeito das doações. Em seguida, é feita a coleta de amostra de sangue, entre 5 e 10ml, e enviada para o LIG, para análise de características genéticas. Os dados dessa análise são inseridos no cadastro do REDOME e cruzados com os pacientes que já estão na lista de espera e com os novos, a medida que são inseridos na fila de transplante”, afirma.

Havendo compatibilidade, o próximo passo é a avaliação clínica do doador para saber se ele não correrá risco por causa da doação. Nessa etapa são realizados diversos exames para verificar sua saúde, incluindo a presença ou não de hepatite, sífilis e HIV, além de câncer.

A retirada da medula pode ser feita de duas formas: por punção de veia periférica, através de um aparelho que irá filtrar as células-mãe, ou puncionando a medula diretamente da cavidade óssea.

No primeiro procedimento, o doador recebe um medicamento que estimula a produção de glóbulos brancos e a migração destes para as veias. Após cinco dias, o sangue é filtrado por cerca de quatro horas em uma máquina especial, que coleta o material necessário, separando as células da medula e do sangue.

No segundo método, a punção é realizada diretamente no osso da bacia, para retirada do volume adequado de medula. Nesse procedimento, que dura aproximadamente 40 minutos e é realizado em ambiente cirúrgico, o doador recebe anestesia e fica internado pelo menos 24 horas.

Como me cadastrar?

O interessado deve apresentar um documento original com foto, preencher um cadastro com informações básicas e responder a um questionário. Em seguida, passará por uma triagem para examinar os sinais vitais como pressão, pulso e temperatura. Confira os locais para cadastro:

- HEMOES Vitória

Tel. 3636-7900/7920/7921 – Avenida Marechal Campos, 1.468, Maruípe, Vitória. Funciona de segunda-feira a sábado, das 07 às 17h30.

- HEMOES de Linhares

Tel. (27) 3171-7361– Avenida João Felipe Calmon, 1.305, Centro (ao lado do Hospital Rio Doce). Funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 12h30.

- HEMOES Colatina

Tel. (27) 3177-7930 – Rua Cassiano Castelo, s/n, Centro. Funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 12h30.

- HEMOES São Mateus

Tel. (27) 3767-4135 – Rodovia Otovarino Duarte Santos, Km 02, Parque Washington. Funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 12h30.

- HEMOES Serra

Tel. (27) 3338-7373 – Av. Eudes Scherrer de Souza, s/n – Laranjeiras, Serra – Funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 15h30.