Notícias

« Voltar

Tecnologia diagnostica ganha espaço no Congresso Brasileiro de Genética Médica

Evento, no Rio de Janeiro (RJ), reuniu os principais especialistas em genética médica do Brasil

Publicado em: 16.06.2018 às 11:00 am

Os avanços na área da genética e os desafios enfrentados pelos pacientes de doenças raras no Brasil, desde o diagnóstico até o tratamento adequado, estiveram entre os destaques do 30 Congresso Brasileiro de Genética Médica. Outro ponto alto do encontro, que contou com a participação dos principais geneticistas do Brasil, e alguns nomes importantes do exterior, foi o debate dos participantes sobre as pesquisas clínicas mais recentes que podem impactar em novas descobertas para a comunidade rara, incluindo tecnologias que façam a diferença na vida do paciente.

Outro foco do evento foi a expansão do conhecimento no diagnóstico de doenças genéticas raras e contou com a participação de três importantes instituições – Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM), Sociedade Brasileira de Triagem Neonatal e Erros Inatos do metabolismo (SBTEIM) e a Sociedade Brasileira de Enfermagem em Genética e Genômica (SBEGG). O Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (SINDUSFARMA) também marcou presença no seminário da capital fluminense.

De acordo com o médico geneticista, Armando Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Triagem Neonatal e Erros Inatos do metabolismo (SBTEIM), o congresso atingiu dimensões como nunca aconteceu antes em termos de empresas expositoras, nacionais e internacionais, tanto na área de serviço como em fornecimento de novas tecnologias diagnósticas, o que é um grande avanço. “Muitas empresas levaram propostas de terapias, não só para doenças diagnosticadas pela triagem neonatal, como também para outras doenças genéticas, o que impulsiona – e muito, a nossa especialidade”, comenta o geneticista.

Além disso, a 30ª edição do congresso também contou a participação do presidente da Associação Internacional de Triagem Neonatal, Dr. Rodney Howell, que abordou a triagem neonatal desde o seu nascimento até os dias hoje e de que forma essa área percorreu o mundo inteiro, sendo o maior programa mundial de saúde em genética médica.

“Sem dúvidas foi um evento de sucesso que, assim como em todas as outras edições, conseguiu elevar o reconhecimento da especialidade em genética perante a população que precisa dela. Além de aumentar o nível de percepção em genética junto aos outros especialistas com o objetivo de estender o benefício à população, agregar conhecimento e qualificar profissionais em prol da melhor assistência a saúde dos brasileiros”, finaliza o presidente da SBTEIM.

 

Por Beatriz Simonelli

Fonte: Muitos Somos Raros